Archive: Daily Archives: julho 13, 2017


Para Que Serve a Raiz Valeriana – ou Valeriana Officinalis

Ataques de ansiedade, estresse do cotidiano e noites mal dormidas. Você anda passando por maus bocados, mas está receoso de encostar em remédios para estresse ou comprimidos para dormir? Antes de recorrer à farmácia, deixa eu te apresentar a raiz valeriana.

A raiz valeriana vem sido usada há muitos e muitos anos e é principalmente conhecida por seus efeitos calmantes e sedativos. Se você é fã de experimentar recursos naturais para tratar disfunções do corpo humano antes de recorrer a um médico, as informações sobre a raiz valeriana vão te interessar com certeza.

 

O Que é a Raiz Valeriana?

A raiz valeriana – também conhecida como Valeriana Officinalis – é uma planta proveniente da Europa, Ásia e agora também cultivada na América do Norte. O seu nome é derivado do latim “valere” que significa “forte e saudável”. As flores da valeriana officinalis são brancas ou cor de rosa com um aroma adocicado e desabrocham durante o verão. Por outro lado, a erva não tem um cheiro tão agradável quanto a sua flor.

A raiz valeriana é conhecida desde antes de Cristo e vem sido utilizada como erva medicinal desde a época da Roma e Grécia antiga. O médico grego Aelius Galenus a prescrevia para tratamentos de insônia.

As propriedades dessa planta incluem óleos voláteis e ácidos. Tais componentes são responsáveis por sua ação tranquilizadora.

 

Para Que Serve a Raiz Valeriana & Seus Benefícios

Há uma grande possibilidade que você já tenha feito uso de raiz valeriana mesmo sem saber. Alguns chás mistos possuem uma quantidade pequena dessa erva em sua composição, principalmente os que anunciam serem chás para antes de dormir. São os famosos “bons sonhos”.

Em conjunto com o chá de raiz valeriana, muitas vezes se combina a erva-cidreira (Melissa Officinalis) e o hops (Humulus Lupulus). Ambos são também ervas com efeitos sedativos.

Outros usos incluem a ingestão oral da erva natural ou por meio de suplementação da raiz valeriana. Os resultados do consumo desta planta afetam o funcionamento de um neurotransmissor no nosso sistema nervoso central responsável por bloquear a transmissão de mensagens nervosas no cérebro. Este neurotransmissor é chamado de GABA ou ácido gama-aminobutírico. Assim sendo, a performance do GABA aquieta atividade nervosa gerando uma sensação de calma.

As principais funções da raiz valeriana são: a de gerar tranquilidade e mostrar o caminho para uma boa noite de sono. Mas, dentro desta gama de vantagens, muitos outros benefícios saem da sombra:

 

  1. Diminui Crises de Estresse: a raiz valeriana reduz estresse físico e psicológico de acordo com estudos. A meta para a diminuição do estresse é a habilidade de relaxar sem a sensação de ansiedade e a valeriana officinalis é capaz de providenciar isso.
  2. Reduz Pressão Sanguínea: hipertensão sem controle pode danificar o seu sistema cardiovascular e causar ataques cardíacos. Com o uso da raiz valeriana, o seu corpo encontra um porto seguro de tranquilidade. Ao entrar em um estado de relaxamento, sem ansiedade e estresse, naturalmente a sua pressão arterial abaixará.
  3. Otimiza a Qualidade do Sono: um estudo realizado na Europa com o uso de raiz valeriana visando o tempo que leva para cair no sono e a qualidade do sono no geral resultou em sorrisos. Os nossos níveis de GABA aumentam quando ingerimos essa planta administrada em quantidades corretas e, consequentemente, acabamos nos sentindo sonolentos.
  4. Ameniza a Ansiedade: estudos comprovaram que a valeriana officinalis estimula a ação do aminoácido GABA no nosso cérebro. Remédios para estresse e ansiedade tais como Xanax e Valium propõem a mesma ação. Ora, pois é melhor fazer o uso de uma erva medicinal ao invés de um remédio tarja preta, não é mesmo?
  5. Suaviza Cólicas Menstruais: a raiz valeriana é um agente sedativo e antiespasmódico. A partir disso, um estudo placebo foi conduzido com mulheres que sofrem de TPM e cólicas menstruais. Tal estudo revelou que o uso de valeriana officinalis pode conter as contrações musculares, relaxando os músculos e, consequentemente, desfavorecendo a intensidade e frequência de cólicas menstruais.

 

Efeitos Colaterais

A raiz valeriana é considerada uma erva bastante segura. No entanto, caso haja dúvidas, entre em contato com o seu médico de confiança antes de começar a utilizar desta planta.

Mulheres grávidas, que estejam amamentando e crianças pequenas devem consultar um médico ou nutricionista para iniciar o uso da valeriana officinalis.

Após o uso da erva, é recomendado evitar dirigir ou operar qualquer tipo de instrumento pesado ou perigoso devido ao seu efeito de sonolência.

Efeitos colaterais não são comuns, mas podem ocorrer. Suspenda o uso caso você experiencie qualquer um dos efeitos adversos abaixo.

  • Dor de cabeça
  • Tontura
  • Dor de estômago
  • Sensação contrária da proposta: ansiedade e inquietude
  • Sensação de ressaca no dia seguinte
  • Sonolência durante o dia
  • Sensação de abstinência
  • Tremores

A raiz valeriana não deve ser utilizada em conjunto com bebidas alcoólicas, sedativos, narcóticos ou melatonina.

Caso você esteja tomando algum remédio, consulte seu médico para obter informações sobre possível interferência e colisão entre os dois. Desta forma, é possível evitar que a valeriana officinalis anule o efeito do outro medicamento ou estimule seu efeito de forma negativa.

 

 

O Que é & Para Que Serve a L-Teanina

Um modo rápido e seguro de melhorar a sua capacidade de concentração e foco além de assistir no tratamento natural da ansiedade é por meio do uso da L-teanina.

A teanina pode ser encontrada e extraída da natureza ou ser sintetizada em forma de suplemento. A sua missão principal é a de aliviar traços de estresse e ansiedade e, a partir disso, atingir muitas outras áreas e disfunções do nosso corpo que ocorrem ao redor destes dois gigantes do mal.

 

O Que é L-Teanina?

Essa substância é um aminoácido que possui uma estrutura muito parecida com a glutamina e com os neurotransmissores GABA (connection to GABA) e glutamato. Após a sua ingestão oral, a L-teanina mira no nosso cérebro e age para nos dar a sensação de tranquilidade.

A sua origem natural é proveniente da Camellia sinensis, um arbusto de folhas verde escuras nativo da Ásia. A L-teanina também pode ser encontrada no Boletus badius, um cogumelo comestível de cor marrom avermelhada que cresce nos Estados Unidos entre os meses de agosto e novembro.

A primeira vez que a L-teanina foi extraída e isolada foi em 1950. O seu descobrimento se deu apenas 1 ano antes como um componente do chá verde. Essa substância está presente em alguns tipos de cogumelo e nos chás verde, branco e preto.

Em meados da década de 60, a L-teanina foi aprovada no Japão para uso em bebidas e alimentos. Após tal ocorrido, a América do Norte concedeu a esta erva o status de substância considerada segura.

Para você ter uma ideia, uma xícara normal de chá verde contém aproximadamente 20mg da substância. Ademais, suplementos de L-teanina fornecem doses que variam entre 50 e 250mg.

 

Para Que Serve a L-Teanina

Os efeitos da L-teanina são puramente naturais e servem para colocar o corpo humano em um estado de calma, mas sem causar sonolência. Na verdade, os seus efeitos são muito parecidos com os da raiz valeriana retirando o efeito sedativo. Confira abaixo alguns benefícios desta erva.

 

  1. Promove a arte de relaxar: ao fazer o uso da L-teanina seja em forma de chá, alimento ou suplemento, o nosso cérebro passa a aumentar a produção e o efeito do GABA. Tal substância, também conhecida como ácido gama-aminobutírico, é um aminoácido presente no nosso organismo na forma do neurotransmissor inibitório mais importante do corpo humano. O GABA trabalha bloqueando a transmissão de impulsos nervosos e evitando crises de ansiedade e estresse. Por conseguinte, o aumento da quantidade de GABA no nosso cérebro gera o efeito contrário do estresse: sensação de calma e bem-estar. Apesar de vários suplementos terem o poder de acalmar o nosso sistema nervoso central, não são todos que tem a capacidade de atravessar a barreira sanguínea do cérebro e operar diretamente na fonte do GABA.

 

  1. Estimula o foco e concentração: a L-teanina também aumenta a atividade de ondas cerebrais alfa, as quais permitem que entremos em um estado de relaxamento profundo. Tais ondas estão presentes durante o sono REM, em situações de calma e foco extremo e em sessões de meditação. Um estudo placebo conduzido pela Universidade Católica de Seoul, na Coréia Do Sul, comprovou tal fato. Os participantes eram todos do sexo masculino, entre 18 e 30 anos de idade e considerados saudáveis. Ao final dos testes, o estudo concluiu que a administração de L-teanina em cápsulas aumentou a atividade de ondas cerebrais alfa especialmente nos indivíduos que sofriam de ansiedade.

 

  1. Evita a ressaca: os níveis de glutationa no nosso organismo vão as alturas com o uso de L-teanina. Tal substância é uma molécula antioxidante que tem ação detox e auxilia a manter a saúde do fígado. Assim, muitas pessoas utilizam a L-teanina antes de ingerir bebidas alcoólicas ou no dia seguinte para curar a ressaca.

 

  1. Reduz a pressão sanguínea: o estresse psicológico do nosso dia a dia tem o poder de atirar a nossa pressão sanguínea nas alturas. Felizmente, a L-teanina consegue reverter esse quadro e estabelecer calmaria no nosso organismo, o que, consequentemente, regula a pressão arterial.

 

  1. Diminui os efeitos negativos da cafeína: a presença de L-teanina em chás é a resposta para a sua pergunta – por que o café nos faz tremer imediatamente, mas o chá requer uma quantidade muito maior para nos deixar inquietos?

 

  1. Regula os níveis de serotonina e dopamina: a serotonina é o neurotransmissor da felicidade. Já a dopamina é o neurotransmissor da recompensa. Vou explicar. Sabe aquela ideia brilhante que nunca funciona de comer só um pedacinho de chocolate ou só um cheetos? A culpa é da dopamina. Quando comemos algo que nos dá prazer, o nosso organismo lança a dopamina bem alto e isso nos dá a sensação de prazer. Mas tudo que vai volta. Ao voltar para o chão, a dopamina nos deixa querendo mais e por isso não conseguimos parar de comer. Há atualmente estudos em andamento analisando a capacidade da L-teanina de regular vícios não só alimentares como já é comprovado, mas de narcóticos e bebidas alcoólicas também.

 

Além destes usos principais, a L-teanina também tem um efeito positivo e vantajoso nas seguintes ocasiões:

  • Pode otimizar a efetividade de tratamentos para o câncer
  • Auxilia adultos e crianças que sofrem de TDAH
  • Favorece uma melhor noite de sono
  • Combate efeitos negativos da abstinência de opiáceos

Efeitos Colaterais da L-Teanina

Com a benção da FDA (Food and Drug Administration), uma entidade dos Estados Unidos que regula remédios e alimentos, é seguro acreditar que a L-teanina não oferece perigos. O risco de overdose com esta substância é extremamente difícil e não há efeitos adversos graves reportados.

Vários estudos realizados em ratos de laboratório com doses diferentes de L-teanina por períodos de tempo também distintos falharam em revelar quaisquer reações tóxicas à substância.

Contudo, apesar da L-teanina ser consideravelmente confiável e natural, consulte o seu médico de confiança antes de iniciar o uso de qualquer suplemento seja ele herbal ou sintetizado.

 

 

Alimentos Ricos em Magnésio e Os Seus Benefícios

Eu vou te contar um segredo. Você pode não saber muito sobre o magnésio, mas você cresceu com um potinho de cloreto de magnésio dentro do armário de remédios da sua casa! É sério! Eu ainda não descobri nenhum talento de clarividência, mas eu sei que a sua mãe e a sua vó corriam para pegar o leite de magnésia quando alguém tinha dor de estômago.

Agora que eu refresquei a sua memória um pouquinho, eu vou te ensinar mais sobre esse suplemento mineral e sobre os seus vários usos.

 

O Que é Magnésio?

O magnésio é um mineral – ou metal – encontrado na nossa tabela periódica. Esse mineral é classificado como alcalino-terroso. Além de ser o metal mais leve conhecido, o magnésio classifica-se também em segundo lugar na lista de deficiências minerais mais comuns em países desenvolvidos, perdendo apenas para a vitamina D.

Quando em temperatura ambiente e condições normais de pressão, a forma natural do magnésio é sólida. No entanto, pode mudar o seu estado ao ser submetido a mudanças drásticas fora da sua CNTP.

Dentro do corpo humano, o magnésio é o segundo eletrólito mais encontrado. A função dos eletrólitos no nosso organismo é basicamente a de regular a atividade celular. Em conjunto com o magnésio, outros eletrólitos muito importantes para nós são: fosfato, potássio, bicabornato, sódio, cálcio, sulfato e cloreto.

A deficiência de magnésio se dá principalmente devido aos hábitos alimentares do ocidente. Apesar disso, consertar os níveis de magnésio e equilibrá-los não é tão difícil. Atingir a quantidade necessária desse mineral é possível com a suplementação de magnésio e com a ingestão de certas comidas.

 

Tipos de Magnésio

Diferentemente de outros suplementos, o magnésio pode ser encontrado em diversas formas. A partir disso, estudiosos acreditam que a sua forma líquida é a que o corpo humano absorve de forma mais suave.

 

  • Quelato de Magnésio: esse tipo de magnésio é o encontrado naturalmente nos alimentos. É super bem absorvido pelo nosso organismo.
  • Cloreto de Magnésio: essa forma do mineral pode ser encontrada como sal ou como óleo. É o tipo mais comum de suplemento de magnésio. O sal é normalmente vendido em cápsulas e é recomendado para indivíduos que apresentam problemas de absorção natural de magnésio. Já o óleo é muito utilizado por atletas de forma tópica para amenizar dores musculares ou de pequenas feridas.
  • Citrato de Magnésio: é encontrado em cápsulas e recomendado para a melhora na digestão e para indivíduos que sofrem com prisão de ventre.
  • Treonato de Magnésio: esse tipo de magnésio é consideravelmente “novo”. Cientistas ainda estão conduzindo vários estudos sobre esta forma, por isso pode ser que não seja tão fácil de encontrar no mercado. No entanto, até o presente momento, estudos apontam que o treonato de magnésio consegue ultrapassar a membrana da mitocôndria resultando, assim, em um nível altíssimo de absorção do mineral.
  • Hidróxido de Magnésio: essa forma é também conhecida como leite de magnésia. O hidróxido de magnésio é líquido e muito utilizado como laxante e para aliviar a acidez estomacal e azia.

 

Benefícios do Cloreto de Magnésio e do Mineral em Geral

O cloreto de magnésio é um dos suplementos mais comuns desse mineral, mas qualquer forma do magnésio oferece os benefícios citados abaixo.

 

  1. Reduz Estresse e Ansiedade

Níveis normais de magnésio contribuem para o bom funcionamento do aminoácido GABA, um neurotransmissor que age como calmante. Havendo uma deficiência de magnésio, várias pessoas sofrem de ansiedade, estresse e insônia.

O Centro de Pesquisa de Nutrição Humana em Grand Forks, North Dakota, nos Estados Unidos, realizou um estudo utilizando suplemento de magnésio por 7 semanas. Os objetos de estudo foram 100 adultos com mais de 51 anos de ambos os sexos que sofriam com má qualidade de sono. O magnésio os ajudou a dormir melhor e diminuiu também sintomas de estresse.

 

  1. Ameniza a TPM

Um estudo preliminar realizado na Unidade Operativa de Obstetrícia e Ginecologia de Milão, na Itália, concluiu que o uso de magnésio por 3 meses em mulheres com ciclo menstrual regular teve o poder de reduzir até 35% dos sintomas de TPM.

 

  1. Combate a Insônia

O magnésio atua como um agente equalizador do nosso ciclo circadiano, especialmente para indivíduos idosos. Ao envelhecermos, fica cada vez mais difícil obter todos os nutrientes necessários para manter o nosso corpo funcionando de modo perfeito. Logo, a insônia é um sintoma muito comum entre pessoas mais velhas.

O Instituto de Psiquiatria Max Planck em Munique, na Alemanha, utilizou do magnésio por 20 dias em um estudo e conseguiu obter resultados positivos com relação à melhora do sono de pessoas idosas.

 

  1. Promove o Aumento de Energia

Indivíduos que sofrem de deficiência de magnésio normalmente passam a se sentir mais cansados e sem energia.

Um estudo placebo compilado pela Universidade Justus-Liebig em Giessen, na Alemanha, fez o uso de magnésio em atletas aproximadamente 1 mês antes de uma prova de triathlon. O grupo de participantes que recebeu suplementação de magnésio por 4 semanas foi mais bem-sucedido na competição por ter elevado níveis de oxigenação muscular e energia nos indivíduos.

 

  1. Evita Enxaquecas

O magnésio está diretamente relacionado ao sistema nervoso e a hormônios que regulam sensações de tranquilidade e a dor. Ao mesmo tempo, o uso do magnésio auxilia com a circulação sanguínea, aliviando a pressão sanguínea.

Um estudo realizado na Turquia analisou o uso de suplemento do mineral em pessoas que sofrem de enxaqueca. Os resultados foram muito positivos com relação a intensidade da dor, mas infelizmente não mostrou alterações na frequência das enxaquecas.

 

  1. Otimiza a Digestão

Vários estudos apontam que níveis saudáveis de magnésio no organismo auxiliam o funcionamento sistema digestivo. O suplemento tem papel neutralizador ao entrar em contato com a acidez estomacal. Desta forma, o magnésio alivia a tensão das paredes estomacais e intestinais. O resultado é uma digestão suave, sem refluxo e sem futura prisão de ventre.

 

  1. Favorece a Saúde Cardíaca

Em conjunto com o cálcio, o magnésio trabalha arduamente para equilibrar a nossa pressão sanguínea.

O Hospital AHEPA, na Grécia, realizou um estudo com 48 participantes que sofrem de hipertensão. A suplementação de magnésio acabou por reduzir levemente a pressão sanguínea de tais indivíduos. A mudança não foi grande em números, mas se manteve bastante consistente.

 

  1. Previne Osteoporose

A formação óssea saudável depende de magnésio no nosso organismo. Esse processo se dá em conjunto com a vitamina D. Consequentemente, a falta de magnésio interrompe o aumento da densidade mineral óssea, o que pode resultar em osteoporose.

 

Alimentos Ricos em Magnésio

Sementes e verduras com folhas verdes são a principal fonte de magnésio disponível na pirâmide alimentar.

Uma dieta balanceada com magnésio em forma de suplemento e a ingestão de alguns dos seguintes alimentos tem tudo para criar resultados sensacionais!

 

  • Espinafre
  • Amêndoas
  • Banana
  • Brócolis
  • Acelga
  • Feijão Preto

Deficiência de Magnésio

As causas de níveis baixos de magnésio no organismo humano variam muito. O uso exagerado de remédios fortes ao passar do tempo pode danificar o nosso estômago e, assim, prejudicar a absorção natural de magnésio por meio de alimentos. Outras opções envolvem a perda do mineral em alimentos devido ao uso de inseticidas no solo ou disfunções digestórias.

As más notícias não param por aí. É também muito difícil testar os nossos níveis de magnésio, pois este mineral encontra-se principalmente dentro das células e ossos e não no sangue. Por isso, muitos médicos optam por sugerir suplementação de magnésio via oral a fim de evitar deficiência.

A deficiência de magnésio pode se apresentar de diversas maneiras. Alguns dos sintomas são:

 

  • Síndrome das pernas inquietas
  • Sintomas agravados da TPM
  • Hipertensão
  • Cáries nos dentes
  • Insônia, má qualidade de sono e estresse
  • Impotência
  • Infecções recorrentes
  • Deficiência de cálcio, vitamina K, potássio e vitamina B1.

 

 

Ashwagandha: Para Que Serve & Seus Benefícios

Não dá nada melhor nessa vida do que se sentir bem, relaxado, feliz, saudável e cheio de energia. Mas, como a vida não é um mar de rosas, é relativamente difícil alcançar um estado pleno que abrange todas as condições citadas acima. Para falar a verdade, é difícil ter tempo para focar em cada uma dessas categorias e as elevar a um nível superior ao satisfatório.

Entretanto, graças à ciência e suas descobertas, a erva ashwagandha é um componente encontrado na natureza que acoberta todos os benefícios que você está procurando e muitos outros que você nem espera descobrir. Permita-se experimentar esse suplemento natural que pode melhorar o seu cotidiano estressante de forma singela.

 

O Que é Ashwagandha?

A Withania somnifera – ou comumente conhecida como ashwagandha – é uma planta.

A ashwagandha também possui outros nomes menos populares como Rei da Ayurveda, Gengibre da Índia e Cereja do Inverno (Wintercherry).

Esta erva vem sido utilizada por praticantes da medicina Ayurveda há mais de 3 mil anos. A medicina Ayurveda é um ramo natural da medicina desenvolvida na Índia e pode ser comparada à medicina tradicional Chinesa. A sua prática envolve a administração de ervas e suplementos encontrados no meio-ambiente para otimizar a nossa saúde.

Originária das regiões secas da Índia, norte da África e Oriente Médio, hoje a ashwagandha pode ser encontrada em áreas da América do Norte também. O arbusto dessa planta, que é da mesma família do tomate, produz flores amarelas e seu fruto tem o tamanho aproximado de uma uva com a cor vermelho alaranjada.

A raiz da erva ashwagandha tem um cheiro característico de estábulo e, devido a isso, o significado de seu nome é “cheiro de cavalo”. Acredita-se que ao utilizar da ashwagandha, o indivíduo passará a ser forte e viril como um cavalo.

Esta substância natural é considerada a chave para ajudar o corpo humano a se adaptar a situações de estresse. Tal característica faz com que a ashwagandha se encaixe na categoria de plantas adaptógenas. Além disso, é também classificada como vajikara (planta afrodisíaca) e bhalya (planta fortalecedora).

As vantagens dessa erva podem ser adquiridas de forma completamente natural ou por meio de suplementos de ashwagandha, que é a forma mais fácil de obter a planta.

 

Para Que Serve & Benefícios da Ashwagandha

A erva ashwagandha é conhecida principalmente por suas propriedades calmantes. Porém, é também utilizada como analgésico, adstringente, imunoestimulante e antiespasmódico para o tratamento de várias doenças.

 

  1. Alivia Sintomas de Ansiedade: a Faculdade Canadense de Medicina Natural em Toronto analisou os efeitos da erva ashwagandha em relação aos sintomas de ansiedade. Neste estudo placebo, 75 pessoas foram separadas em 2 grupos. Todos os participantes sofriam de ansiedade moderada e fizeram terapia durante o período de teste em conjunto com o uso de ashwagandha. O grau de ansiedade dos indivíduos que fizeram o uso da erva diminuiu 56,5%.

 

  1. Ameniza o Estresse: o Departamento de Neuropsiquiatria e Psiquiatria Geriátrica do Hospital Asha, na Índia, concluiu a partir de um estudo que a ingestão de ashwagandha diminui os níveis do hormônio cortisol no nosso organismo. Neste estudo, 64 pessoas foram analisadas por um período de 60 dias.

 

  1. Regula os Níveis de Colesterol: um estudo Indiano publicado no Jornal da Associação Nutracêutica Americana em 2008 reuniu 98 participantes para testes placebo. O resultado mostrou uma redução significativa nos níveis de cortisol e colesterol LDL (colesterol ruim), enquanto aumentou os níveis do colesterol HDL (colesterol bom).

 

  1. Estimula a Força e Recuperação Muscular: um grupo de cientistas e médicos indianos publicou um estudo sobre ashwagandha. Em 2015, 57 homens sem preparo físico foram colocados em um treino muscular por 8 semanas. Melhorias no tamanho do músculo, níveis de testosterona e recuperação muscular foram observadas no grupo que fez o uso de ashwagandha.

 

  1. Equilibra hormônios: plantas adaptógenas como a ashwagandha são ótimas para regular o funcionamento da tireóide, independentemente do caso ser de hipo ou hipertireoidismo.

 

  1. Otimiza o Sistema Endócrino: com o acúmulo de estresse mental, físico e psicológico, é comum ocorrer o que chamamos de fadiga adrenal. Essa disfunção pode bagunçar seus hormônios e causar o envelhecimento precoce. O tratamento com ashwagandha resolve todos estes problemas.

 

  1. Promove o Bom Humor: como citado acima, a ashwagandha pode ajudar no tratamento de estresse e ansiedade. Por conseguinte, auxilia também com sintomas de depressão. Desta forma, acaba resultando em menos alterações drásticas de humor.

 

Outros usos menos conhecidos e ainda sendo estudados da ashwagandha incluem:

 

  • Tratamento de artrite
  • Redução de tumores
  • Auxílio no tratamento da tuberculose
  • Alívio dos sintomas de asma e bronquite
  • Relaxamento dos músculos das costas
  • Suavização da TPM
  • Redução dos níveis de açúcar no sangue
  • Controle dos sintomas de TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade)
  • Redução de inflamações

 

Efeitos Colaterais da Ashwagandha

O uso da erva ashwagandha é comprovado ser bastante seguro quando não utilizada a longo prazo. Não há evidencias suficientes sobre os possíveis efeitos adversos com relação a overdose ou uso contínuo da substância.

Consulte a opinião do seu médico de família antes de fazer o uso de ashwagandha. Especialmente se você estiver grávida, amamentando, tiver menos de 18 anos ou sofrer de uma das seguintes condições: lúpus, diabetes, gastrite e hipertensão.

Remédios de efeito sedativo podem potencializar o efeito da ashwagandha causando sonolência excessiva.